noticias Seja bem vindo ao nosso site Assú Todo Dia!

Brasil

Calor: Especialistas alertam que “o pior está por vir” e que El Niño vai agravar clima no Brasil em dezembro

Preocupa a situação do Nordeste, já que a estiagem severa é dada como certa na região no início de 2024

Publicada em 20/11/23 às 11:18h - 46 visualizações

Gustavo Varela


Compartilhe
Compartilhar a noticia Calor: Especialistas alertam que “o pior está por vir” e que El Niño vai agravar clima no Brasil em dezembro  Compartilhar a noticia Calor: Especialistas alertam que “o pior está por vir” e que El Niño vai agravar clima no Brasil em dezembro  Compartilhar a noticia Calor: Especialistas alertam que “o pior está por vir” e que El Niño vai agravar clima no Brasil em dezembro

Link da Notícia:

Calor: Especialistas alertam que “o pior está por vir” e que El Niño vai agravar clima no Brasil em dezembro
O El Niño avança para o pico de sua atividade, em dezembro  (Foto: Pheelings media / Shutterstock.com)

A onda de calor tomou conta do Brasil e, infelizmente, a previsão não é de “bons ventos” para dezembro. Pelo menos é o que dizem os cientistas que garantem que “o pior ainda está por vir”. 

Leia mais notícias no Portal Ponta Negra News 

O El Niño avança para o pico de sua atividade, em dezembro. Os especialistas preveem que a seca na Amazônia se aprofundará, além de haver mais calor no Centro-Oeste e Sudeste e fortes chuvas no Sul. Preocupa a situação do Nordeste, já que a estiagem severa é dada como certa na região no início de 2024. 

O alerta foi dado na quinta-feira (16) no evento “Crise climática e desastres como consequência do El Niño 2023-2024: impactos observados e esperados no Brasil”, que reuniu na Academia Brasileira de Ciências (ABC), no Rio, alguns dos maiores climatologistas do país. 

A situação está perigosa. A chuva já deveria ter começado na Amazônia Central, mas veio muito fraca. Teremos o prolongamento e acentuação da seca no Norte. Também no Nordeste, já há sinais de que a chuva vai atrasar, e haverá seca. Estamos avisando há meses, o cenário só piora. Os governos já deveriam estar preparados”, salientou José Marengo, coordenador-geral de Pesquisa e Modelagem do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). 

O ano de 2023 caminha para ser o com mais extremos climáticos simultâneos no país, com uma onda de calor no Centro-Oeste, Sudeste e parte do Nordeste; seca no Norte e fortes chuvas no Sul. Também deverá ser o mais quente dos últimos 125 mil anos, segundo a Organização Mundial de Meteorologia (OMM). 

Marengo lembrou que não é só a intensificação do El Niño que distorce o clima. O Atlântico Norte permanece muito quente, em pleno inverno do Hemisfério Norte, influenciando as condições climáticas na Amazônia e no Nordeste. 

Cientistas frisam que o Brasil atravessa extremos que, em anos de El Niño, costumavam acontecer no verão. A antecipação é um provável resultado da combinação do fenômeno com as mudanças climáticas. 

A professora de oceanografia e clima da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e coordenadora de desastres naturais da Rede Clima, Regina Rodrigues, observou que o solo está muito ressecado no Norte e no semiárido do Nordeste, aumentando a gravidade da seca. A face mais visível na Amazônia é a dos rios secos, incluindo o Amazonas, o maior do mundo em vazão, o Negro e o Madeira, nos menores níveis da História. 

O climatologista Carlos Nobre, copresidente do Painel Científico para a Amazônia, apresentou dados que mostram que a própria floresta definha, com a combinação de seca e queimadas, e é previsto um aumento de 300% na mortalidade de árvores. 

Fonte: Ponta Negra News




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (84) 99465-0642

Visitas: 368873
Usuários Online: 2
Copyright (c) 2024 - Assú Todo Dia
Converse conosco pelo Whatsapp!